domingo, 31 de janeiro de 2010

Prevenção

Já que estamos em ritmo de carnaval, que tal seguir o conselho do Chacrinha? "Bota a camisinha, bota meu amor!". A animação abaixo, sobre a prevenção da Aids e de doenças sexualmente transmissíveis, é genial, mas proibida para menores.

video

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Com a bola cheia

Tá bom, eu sei que todo mundo já viu isso, mas não custa nada mostrar mais uma vez. Afinal, é muito bom saber que o Rio está com a bola cheia.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Homenagem à generosidade

A notícia da morte de Zilda Arns esta manhã deixou meu dia mais cinza, apesar do céu azul derretendo sob o sol de 40 graus que fazia no Rio. É impressionante como a partida de uma pessoa com quem só conversei uma única vez mexeu tanto comigo.
Estive com ela a trabalho para gravar um depoimento sobre o Fome Zero para um programa do Senac, há uns sete anos. Lembro que a firmeza daquela mulher de aparência frágil e a desenvoltura com que ela lidava com as crianças e mães do Espaço Criança Esperança, no meio do morro do Cantagalo bem antes de se pensar em pacificação, me encantaram. Me encantaram pela autenticidade e, principalmente, pela humanidade que ela transmitia, embora suas ações parecessem negar, em muitos momentos, que ela fosse de fato humana.
Por isso, o anúncio de sua morte me causou tanta perplexidade, porque me obrigou a lembrar de que ela era humana sim, apesar do trabalho divino que desenvolveu. Como disse Dom Paulo Evaristo Arns, "não é hora de perder a esperança".
O legado de Zilda Arns está aí estampado no sorriso de cada criança que ela, contrariando a ordem da história, ajudou a crescer. O Céu hoje ficou mais generoso.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Lembrete

Tenho que me lembrar disso toda vez que acordar com síndrome de Amélia (quase que diariamente, por sinal).

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Saldão de fim de ano

And so it is... C'est fini!
2009 passou como um furacão, não só pela rapidez como pela devastação que me causou. Mas não vou dizer "já foi tarde". Foi um ano difícil, talvez o mais difícil de todos, mas foi um aprendizado.
Sofri (demais), me desesperei (algumas vezes), perdi a paciência (quase todo o tempo), chorei um oceano, ganhei muitos cabelos brancos e rugas, me decepcionei, fiquei exausta (mais do que o suportável), morri um pouco. Mas também renasci, fiz novos amigos, reencontrei outros, fortaleci laços de amizade e afeto, recebi muito carinho, me doei (além da conta), amei e fui amada.
Enquanto assistia a uma vida se apagando, vi outra nascer. Perdi uma parte de mim com a morte da minha avó, descobri novas cores com o nascimento do meu afilhado lindo. Com meus gatos aprendi a força de um amor incondicional e o poder da tolerância.
Com o atropelo dos acontecimentos, pouco passei por aqui. Perdi a graça com as palavras. Quis me esconder. A criatividade ficou adormecida em meio à exaustão.
Está na hora de começar a sair da toca. Que venha 2010 e as surpresas que ele me reserva!



* Não era essa a versão da música que queria, mas foi a única que encontrei disponível (intérprete chaaaata).