domingo, 29 de junho de 2008

Você acredita?

"Se eu acredito em Deus?
Mas que valor poderia ter
Minha resposta,
Afirmativa ou não?
O que importa é saber
Se Deus acredita em mim".

Mário Quintana

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Para matar a saudade

Se estivesse vivo, meu avô Armando (pai do meu pai) teria feito ontem 89 anos. Provavelmente, mesmo beirando os 90, ainda não aceitaria ser chamado de velho. Sua vaidade não permitiria. Assim como o meu outro avô, o Luiz (que faria 98 anos no próximo dia 2), ele era cheio de vida. Assim como o velho Blois, ele era falante, bem humorado e cheio de amigos. Sou neta de dois cancerianos muito queridos e amorosos, cada um a seu jeito.
O vô Armando era o que me levava para passear e que gostava de brincar, o que esteve mais perto enquanto eu era criança. Sempre que eu queria ir à praia, era para ele que eu pedia. E ele sempre me levava. Durante anos, ele foi a minha vítima: toda vez que eu tinha uma queda de pressão e desmaiava, coincidentemente, era ele quem estava por perto para me socorrer.
Me lembro dele implicando e fazendo careta para a minha avó para nos fazer rir; no Maracanã, com sua inseparável almofadinha com o escudo do Flamengo, vibrando com o Zico; ou em casa, aos domingos, com o radinho de pilha grudado no ouvido, enquanto o meu pai reclamava: "Desliga isso, Zé. Vai acabar dando azar" - Nunca entendi o porquê do meu pai o chamá-lo de Zé, já que ele não tinha José no nome. Era só Armando Ribeiro e ponto final.
Ele foi o meu ídolo de infância, mas eu só fui entender isso já adulta. E eu era a bonequinha dele. Quando ele morreu, cedo demais para que eu pudesse aceitar, passei um bom tempo, quando chegava na casa dele, esperando que ele viesse da cozinha me dar um beijo, dizendo: "oi, minha boneca" (anos depois, quando me chamaram de minha boneca de novo, aquilo me soou tão aconchegante que imediatemente me senti em casa , mas essa é outra estória). O vazio que ficou com a partida dele me fez um buraco no estômago, abrindo a minha primeira úlcera, aos 17 anos.
Curiosamente, só descobri de verdade o meu avô Luiz depois que o Armando se foi. Aos poucos, fui me familiarizando com aquele senhor que, mesmo aposentado, não parava em casa. Para não perder a pegada, ia todo dia ao centro da cidade. Encontrava com os antigos colegas de trabalho e colocava o papo em dia. Foi o jeito que ele encontrou para se manter ativo.
Perto de casa, era conhecido por todos: na padaria, no açougue, no barbeiro. Estava sempre pronto para conversar. Era o rei da rifa do bairro. Ganhava todas que comprava e depois me dava os prêmios de presente: televisão, relógio, rádio...
Viúvo há muito tempo, se cuidava sozinho e não queria nenhum dos filhos tomando conta dele. E ficou assim independente até enquanto pode. Tinha uma memória e uma sagacidade de pensamento que me causam inveja até hoje. Eu gostava de ouvir as suas estórias sobre política e futebol (ele também era flamenguista).
Me lembro de como ele tentou me fazer desistir de ser jornalista. Chefe de oficina de jornal a vida toda, não via com bons olhos a profissão. Me dizia que eu ia me matar de trabalhar e morrer de fome - Não morri de fome, vô. Embora tenha que ficar fazendo conta para fechar o mês, não posso reclamar da vida. Foi dele que herdei o sobrenome que não deixa ninguém esquecer de como me chamo.
De vez em quando, eles vêm me visitar nos sonhos. Já são quase 22 anos sem um e quase 15 sem o outro. E eles ainda fazem muita falta. Tomara que essa noite eles apareçam para a gente matar a saudade.

Frases do dia

Muito apropriadas para um final de mês.

"Se dinheiro não traz felicidade, dê-me o seu e seja feliz!"

e a complementação:

"O dinheiro não traz felicidade, mas aplaca os nervos"

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Generosidade 2


Por mais exdrúxula que seja a imagem, ela é uma prova de que o ser humano é capaz de gestos de generosidade inimagináveis.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Sopa de letrinhas


De aorcdo com umapeqsiusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as Lteras de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e a útmlia Lteras etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma bçguana ttaol, que vcoê anida pdoe ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa Ltera isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.

Agora, fixe seus olhos no texto abaixo e deixe que a sua mente leia corretamente o que está escrito:

35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 4P3N45 P4R4 M05TR4R COMO NO554 C4B3Ç4 CONS3GU3 F4Z3R CO1545 1MPR3551ON4ANT35!
R3P4R3 N155O!
NO COM3ÇO 35T4V4 M310 COMPL1C4DO, M45 N3ST4 L1NH4 SU4 M3NT3 V41 D3C1FR4NDO O CÓD1GO QU453 4UTOM4T1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R P3N54R MU1TO, C3RTO?
POD3 F1C4R B3M ORGULHO5O D155O! SU4C4P4C1D4D3 M3R3C3! P4R4BÉN5!

Micão

Saiu na coluna Zapping, da Folha Online de hoje :

"Detalhes
Adriane Galisteu, em entrevista a João Gordo, da MTV, disse que seu namoro com o jogador Roger foi doentio. Ela contou também que já viu Roberto Justus, seu ex-marido, fazendo escova."


Por que será que as pessoas gostam tanto de ser indiscretas com a própria vida? Já não basta o mico de casar com um homem que, obviamente, faz escova e comprovar isso in loco? Ainda tem que contar para todo mundo? Cadê a dignidade dessa gente?!?

Indicação

Selo Esse blog...Vale a pena ser olhado

Agradeço ao Eduardo Lunardelli, do blog Varal de Idéias, que presenteou seus amigos blogueiros (euzinha inclusive) com a indicação para receber o selo acima. Estar linkada ao Varal já era uma honra mais do que suficiente, agora, então, é que vou ficar impossível!

Nota de respeito

Quero registrar aqui o meu respeito pela antropóloga Ruth Cardoso, a única primeira-dama - peço perdão por usar um título que ela não gostava - que exerceu a função com dignidade e verdadeiro respeito pela nação brasileira, na minha humilde opinião. D. Ruth, como era chamada, não se limitou a ser uma sombra de seu marido, uma mera figurante de eventos oficiais. Pelo contrário, aproveitou a oportunidade que teve para desenvolver um trabalho sério, independente de cores partidárias, fruto de anos de muito estudo e dedicação.
Essa homenagem não tem a ver com convicções políticas, apenas com a minha admiração a pessoas comprometidas de fato com os ideais democráticos nos quais acredita e com a minha torcida para que bons exemplos como ela não fiquem somente guardados nas páginas amareladas da nossa história.

A culpa é do Fidel


A reportagem abaixo foi enviada pelo PiR e me fez lembrar de quando fomos ao Chile, há 11 anos, e da insistência do funcionário da imigração chilena em saber em qual "jornal" eu trabalhava, depois de ler no meu documento que eu era jornalista. Foi uma dificuldade fazê-lo entender, no meu portunhol precário, que não trabalhava em jornal e sim na área de comunicação de uma empresa que nada tinha a ver com a imprensa. E isso porque, naquela época, o Pinochet nem era mais o chefe de governo, embora se mantivesse à frente das Forças Armadas.
O texto a seguir é longo e, embora não retrate nenhuma novidade, vale a pensa ser lido para não esquecermos nunca o valor da democracia, por mais caótica que ela seja.

O calvário de um ídolo cubano

O boxeador Guillermo Rigondeaux, que tentou fugir no Pan do Rio, em 2007, passa por dias difíceis na Ilha

Claudio Mafra, HAVANA –Jonal O Estado de São Paulo – 16-06-2008

O pugilista três vezes campeão mundial juvenil!! Duas vezes campeão pan-americano! Medalha de ouro nas Olimpíadas de Sydney e Atenas! Duas vezes campeão mundial! Com 475 vitórias e apenas 12 derrotas! Considerado o maior boxeador do mundo! Com 27 anos de idade, o famoso e infeliz...,"Senhoooras e Senhooores! Guilhermo Ri-gon-deaux !"

Bem, aqui está ele. Óculos escuros, boné enterrado na cabeça, assustado, mal vestido, olhando para os lados para ver se foi seguido. É difícil acreditar que estou diante de um dos maiores esportistas de todo o globo. Entre Guillermo Rigondeaux e uma vida de milionário - que seria a recompensa por seu talento - estão duzentos quilômetros de água salgada. Se estivesse fora de Cuba, poderia ganhar milhões de dólares. Seria disputado pelos patrocinadores, seria adulado, teria uma vida de luxo, Ferraris, publicidade, tudo que o dinheiro pode comprar. Uma celebritie, e no entanto vai receber 120 dólares para me dar uma entrevista.

Apenas um pobre rapaz.

Durante os últimos Jogos Pan-Americanos, no Rio, em julho do ano passado, Rigondeaux e seu companheiro Erislandy Lara tentaram fugir, abandonando a delegação cubana, seduzidos pelos contratos que poderiam assinar em outros países. O que se passou é nebuloso, mas o fato é que os dois foram despachados de volta para Cuba com tanta pressa que se comenta ter sido um favor especial do presidente Lula para Fidel.

Claro que em nossa entrevista é impossível Rigondeaux dizer averdade. De fato, ele é um prisioneiro domiciliar. Limita-se a repetir o que saiu publicado no Granma, o ridículo jornaleco oficialdo regime. Fico ouvindo. Enquanto fala, olho para ele e sinto pena. Uma história completamente sem pé nem cabeça, onde o tamanho do seu desprezo pelo dinheiro só é igualado pelo seu patriotismo. E as propostas que recebeu de um empresário? "Mentira da imprensa. Sempre existem propostas e nunca aceitei nenhuma. Eu já estive em muitos países e poderia ter fugido antes.

"Algumas coisas que ele diz são interessantes: "Se eu tivesse feito o que vocês escreveram nos jornais e depois tivesse voltado para Cuba eu teria sido fuzilado", afirmou. "A delegação voltou mais cedo porque havia alguns que estavam desertando." (É verdade, dois já haviam fugido, e Fidel, com medo de que outros fossem embora, ordenou que os seus escravos-atletas voltassem antes da festa de encerramento). Rigondeaux também não sabe onde está Lara: "É bom para mim e para ele não nos encontrar-nos." É tão simplório, que não seria correto tentar pegá-lo em alguma contradição. É melhor deixá-lo em paz.

O fato é que nunca mais poderá deixar a Ilha. "El Comandante" é vingativo, e Rigondeaux vai pagar caro pelo que fez no Brasil. Vai envelhecer em Cuba, sem nunca mais competir. Esse é o seu destino e ele que dê graças a Deus por não estar dentro de uma prisão. (Talvez deva dar graças a Lula também).

Chegou a hora das fotografias. Peço para que tire o boné e os óculos. Ele hesita, mas concorda. É reconhecido imediatamente. Três pessoas vêm apertar sua mão. Esquece o medo e fica muito satisfeito. Pelo menos tem a admiração do seus compatriotas. Eu, o fotógrafo, junto com o antigo campeão mundial dos pesos médios-ligeiros de1965 Félix Betancourt, que foi quem me conseguiu o contato com ele. Por essa ajuda eu dei 70 dólares para o grande Felix, "A Pantera do Oriente", o pugilista que foi o favorito de Fidel, e que aos 60 anos de idade está na miséria.

Entre muitas de suas recordações está uma foto com o comandante, os dois muito jovens, ele pronto para entrar no ringue, magnífica figura. Bons tempos. No táxi eu disse a Félix que ele estava magro demais, e sua resposta foi que se mantinha em forma, que ainda treinava. Bastou ele descer, que o motorista disse com ironia: "Que treino que nada... Ele está é passando fome."

O povo cubano conhece muito bem a história dos seus antigos ídolos, o tratamento indigno que recebem do regime, onde os pugilistas idosos são abandonados. Quando deixam os ringues, por não saberem fazer mais nada além de lutar, são colocados de lado, ganham uma pensão miserável. Sua luta passa a ser a sobrevivência diária.

Caminhamos por uma rua mais discreta e eu aproveito para pagar Rigondeaux. Então ele chega ao fundo do poço: Me pergunta se não gostaria de "chicas". Essa não. O maior pugilista do mundo está me oferecendo prostitutas. O que mais posso dizer?

O telefone toca no quarto do hotel e dizem, em tom imperativo, que são da Inmigracion, que é para eu descer porque querem falar comigo no lobby. Claro, chegou a vez da repressão. Até agora estive livre feito um passarinho, fazendo e acontecendo, mas chegou a vez de pagar a conta. Minha primeira providência é a de rasgar rapidamente os papéis que comprometem o jornalista meu amigo, Jose Barrios (nome fictício). Por intermédio dele cheguei até aos boxeadores. Sinto pena de ficar sem alguns documentos interessantes, mas é imprudência conservá-los, e impossível escondê-los. De uma hora para a outra podem entrar no meu quarto e revistar tudo. Coloco o papel picado no saco que a arrumadeira deixou no corredor. Conservo somente a capa da revista Enepece, editada pelos refugiados de Miami, onde aparece a cara sorridente do presidente Raúl vestido de chinês, com o título "La China que nos Espera". Quero levá-la para ver se o jornal publica a foto. É hilária. Para se entender é preciso saber que Raúl Castro tem o apelido de "China", uma dupla alusão aos olhos puxados e ao fato de ser considerado gay.

Chegando ao lobby, dois militares me fazem algumas perguntas e recebo um papel no qual sou intimado por um tenente-coronel para ir depor às 9 horas do dia seguinte no Departamento de Imigração. Telefonei para oEstado e avisei que se não desse notícias em 48 horas seria uma boa idéia ligar para a embaixada brasileira. A segunda providência foi procurar Barrios naquela noite e contar tudo. Ficou com medo de ser preso. Não quer de maneira alguma que eu conserve a revista com a cara do Raul. Procuro tranqüilizá-lo dizendo que de mim não vão saber nenhuma palavra sobre ele. Não vou dizer um único nome. Se engrossarem chamo a embaixada.

Barrios sabe que vou para Miami de veleiro e, pela segunda vez, e de maneira dramática, pede para ir comigo. O que posso dizer para uma pessoa desesperada para escapar da ilha? O barco não é meu, e, sem motor, a viagem é muito demorada, 30 horas. Seria sorte demais conseguir iludir os cubanos, e depois ainda teríamos a Guarda Costeira americana. Não é possível.

É muito comum os cubanos escaparem em barcos, mas estes são superpotentes, vêm de Miami ao preço de 10 mil dólares, atracam em algum ponto da ilha e partem em extrema velocidade para outro país, ou mesmo para os Estados Unidos. O problema são os jovens, os meninos, aqueles que não têm nada a perder, e que percebendo os preparativos de fuga dos que contrataram a empreitada ficam esperando escondidos. Quando o barco chega tentam embarcar à força. Muitas vezes se atiram na água, e arriscam a vida de tal modo que não existe outra alternativa a não ser levá-los também.

Pela manhã, chegando na Inmigração, já não gostei da primeira pergunta do capitão. Olhando para a rua, e fechando a porta atrás de mim ele diz:"O senhor deixou o táxi esperando?" Mau sinal, será que está querendo dizer que sou muito otimista? Começa um interrogatório onde querem ser durões mas ao mesmo tempo educados. Eu me recuso a dar os nomes dos que me levaram a Rigondeaux. Digo que se eles têm seus informantes, eu também tenho os meus, só que os jornalistas chamam de "fontes", e que são sagradas. Antes que se irritem ainda mais, eu digo inocentemente que naquele caso tinha sido o jornal. O jornal? Sim, senhores. "O jornal pediu o endereço para a Polícia Federal. No Brasil foi um escândalo, os senhores não sabem?" É péssimo para eles, ouvirem esse "escândalo no Brasil" (percebe-se, na hora, que se sentem inferiorizados, estão sozinhos no mundo, ninguém aprova o que fazem - "um escândalo!"). Resolvem partir para outra coisa: "Mas o senhor disse no seu boleto de entrada em Cuba que veio para turismo. Como é que foi fazer entrevistas?" Novamente eu entro com o jornal salvador: "O jornal me ligou e disse que já que eu estava em Cuba, que tal aproveitar e fazer uma entrevista ?" (O nome Guilhermo Rigondeaux não é mencionado uma única vez no interrogatório ).

E por aí vamos, eles insistindo em que estou me metendo em assuntos internos cubanos. Mas os tempos são de "cambio" (abertura), é bom não exagerar, e resolvem encerrar o interrogatório. Passar bem, obrigado, e em férias não faça mais entrevistas.

Tudo levou pouco mais de uma hora.

Os cubanos assistem aos canais a cabo de Miami. É uma festa porque ficam sabendo de tudo o que o governo esconde e nega. Claro que é ilegal, mas todo mundo tem. Os que podem, pagam 10 dólares por mês pelo decodificador, e os outros fazem "gato". De vez em quando a polícia providencia "batidas", mas quando invade as casas os aparelhos já foram recolhidos. Dizem os cubanos que gente do próprio governo avisa quando a polícia vai entrar em ação. Afinal, todos têm filhos e filhas que querem assistir aos programas. O canal preferido é o 23, no qual se apresenta Maria Elvira, que mete o pau nos comandantes. Grande sucesso. Existem outros, os 51, 41 e o 69, que mostram aos cubanos a vida nos países livres, a vida que eles perdem enquanto o tempo passa.

A bonita moça da tabacaria está fazendo 24 anos e me diz que conta nos dedos os seus dias em Cuba. Tem medo de perder toda a sua mocidade sem conhecer o mundo.

Os canais cubanos só falam de política, são uma chatice. Todo o tempo é "revolución", "la consciência del momento histórico" e as baboseiras do comandante en jefe, que depois que deixou o governo começou a publicar "reflexiones" como se fosse um extraordinário pensador.

E os meus amigos cubanos já podem me esperar sentados no lobby do hotel! Antes ficavam em pé, do lado de fora, e me chamavam quando davam sorte de me ver. São as mudanças de Raúl. Também podem comprar aparelho de DVD (quando tiverem dinheiro) e aí, sim, vão deitar e rolar com os DVDs piratas, gravados do canal 23 de Miami, o que vai decuplicar as informações "contra-revolucionárias". É um perigo quandose começa a abrir um regime...

Paro no meio da rua para ver alguns meninos pequenos brincando. De repente a bolinha chega para o meu lado e correndo para pegá-la vem junto o menor dos garotos. Deve ter uns 7 anos. Olho muito sério para ele e pergunto bem alto: "Você é contra-revolucionário?!" O menino fica pasmo, os olhos muito abertos, e a voz sai bem fininha, bem baixinha:"Patria o muerte." Muito bem, o coitadinho deu a senha do seu patriotismo. Digo que é brincadeira, fico arrependido, passo a mão em sua cabeça e dou uma propina bem grande para compensar o susto.

O jornal El Nuevo Herald, de Miami, publicou que a judoca cubana Yurisel Labordie, que estava participando do Campeonato Pan-Americano de Judô, em maio, nessa cidade, também fugiu. Laordie era uma medalha certa na Olimpíada de Pequim. É bicampeã mundial (2005 e 2007). Mais uma que trocou a doce pátria pelos prazeres capitalistas.

De regresso ao Brasil, fiquei sabendo que Guillermo Rigondeaux foi chamado pela Polícia Política por causa de sua entrevista. Ele se defendeu dizendo que havia apenas repetido o que o Granma havia publicado. Foi advertido para deixar de ser bobo, que todos jornalistas mentem, e que nunca mais conversasse com a imprensa. Sua resposta foi a de que "esse jornalista não, ele não vai mentir". Agradeço a Rigondeaux por essas palavras, sinto por não haver acreditado em sua versão do fato, mas espero que no texto tenha ficado claro que realmente ele foi coerente com o que havia dito ao Granma.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Besteirol de terça - Ferrari de pobre

O filho pergunta ao pai:

- Pai, Ferrari é um carro vermelho, que tem um cavalinho??
- Exatamente, meu filho, por que?
- Porque acho que vi um, acabou de passar pela gente.......


segunda-feira, 23 de junho de 2008

Quer um cheirinho?


Tem maluco para tudo mesmo. Em Cingapura, um homem de 36 anos foi preso por ser um cheirador compulsivo de axilas. É isso mesmo, o infeliz é viciado em cheirar o sovaco dos outros. Após molestar 23 mulheres num período de 15 meses, ele foi preso e condenado a 14 anos de prisão, além de levar 18 chibatadas nas nádegas.
Mas você acha que ele está sozinho nessa mania de sair cheirando coisas por aí? Lêdo engano. Na Austrália, o político Troy Buswell admitiu ter cheirado o assento de uma cadeira onde uma colega parlamentar havia sentado durante uma reunião. A confissão foi feita durante uma coletiva de imprensa, na semana passada.
And last, but not least, no Japão, um outro doidinho foi preso após roubar dezenas de pares de botas femininas em clubes e hospitais para adivinhem: cheirá-las, é óbvio. Kazuhiro Watanabe disse que "ficava excitado quando as cheirava e imaginava como seriam as mulheres que as usavam". Os investigadores apreenderam 27 pares de botas em sua casa e em seu carro.
* Ilustração retirada do site G1

Tertúlias Virtuais

Os blogs Varal de Idéias e Expresso da Linha criaram uma brincadeira, que batizaram de Tertúlias Virtuais, que se repetirá a cada dia 15 de todo mês. A idéia é que, a partir de um tema pré-definido, blogueiros amigos publiquem em simultâneo, nesta data, um texto/imagem (ou apenas um dos dois) sobre o assunto.
O desafio da primeira tertúlia, que acontecerá no próximo dia 15 de julho, será postar uma foto e/ou um texto que defina em sua opinião "O melhor lugar do mundo". Todos os que possuem um blog estão convidados a participar. Os interessados devem apenas notificar a um dos dois blogs organizadores a sua participação. Eu já me inscrevi.

Dúvida histórica

Acabei de assistir ao filme A Outra (The Other Boleyn Girl) e saí do cinema com uma dúvida que a minha rápida pesquisa pela internet não esclareceu: afinal, Maria Bolena teve ou não teve um filho com Henrique VIII? Tudo o que encontrei até agora faz referência apenas a Maria, filha do rei com Catarina de Aragão, sua primeira mulher, e a Elizabeth I, filha de Ana Bolena, que acabaram tornando-se herdeiras do trono. Mas e o menino, que o próprio filme deixa de lado, existiu ou não?

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Tatuagem 3 - O desencaminhamento


Sim, eu me tatuei de novo, mas dessa vez não estava sozinha. Ignorando os protestos (nem um pouco convincentes) de seu marido, que me acusava de a estar "levando para o mau caminho", minha amiga Cláudia finalmente havia decidido o que queria registrar em seu corpo: reproduzir a bonequinha-pingente que ganhou em seu primeiro dia das mães.

Conosco, a inspiração do então presente e agora tatuagem cantarolava e saltitava pela sala, dando palpites sobre o tamanho e o local onde a mãe deveria fazer o desenho. E foi ela quem fez daquele um momento especial. Assistir o encantamento daquele pingo de gente de apenas sete anos, mas já tão cheia de opinião e atitude, com aquele jeitinho abelhudo a espiar atentamente cada traço desenhado, foi o meu presente.

A partir daquele momento, ela ficou desenhada para sempre ali no pulso da mãe. O que ela não sabe é que, no meu coração, ela já está tatuada desde aquele 4 de maio de 2001. Esse amor agora estampado no meu braço também é para ela.

Dos primórdios da tevê brasileira

Em homenagem à evolução da propaganda brasileira, sem falsos patriotismos, uma das melhores do mundo.

video

É hoje só, na segunda não tem mais

Acabou a minha sopa. Na segunda, eu volto a trabalhar e não me sai da cabeça aquele post do desabafo da mulher moderna. Quem foi mesmo a infeliz que inventou esse papo de igualdade dos sexos?!? Humpf!
Bom, vamos ao que interessa. Uma das coisas que aproveitei para fazer nas férias foi voltar a ler (nota: ler outras coisas que não as técnicas ou relacionadas ao trabalho). Nesse campo, me surpreendi positivamente com o livro Filosofia em Comum, da Marcia Tiburi. Positivamente porque nunca tive paciência para me aprofundar no tema, embora tenha um pai pós-graduado no assunto, e também porque, até então, tinha uma certa implicância com a autora, a "saia" quase sempre do contra do programa Saia Justa.
Pois não é que o livro é fácil. Deixo aqui um trecho para dar um gostinho a quem quiser filosofar um pouco mais.

"Se prestássemos mais atenção no que pensamos, talvez tivéssemos posse sobre o território esquecido que estimula a ação, nosso pensamento inconsciente. Talvez, a filosofia não seja mais do que a capacidade de articular esses pensamentos inconscientes que nos movem, talvez ela nos faça apenas "saber o que fazemos" porque fomos capazes de, por meio dela, pensar no que fazemos."

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Guarda-roupa novo

“Nada é mais belo do que um corpo nu. A roupa mais bela que pode vestir uma mulher são os braços do homem que ela ama. Mas, para aquelas que não tiveram a sorte de encontrar esta felicidade, eu estou lá.”
Yves Saint Laurent
Como a minha conta corrente não me permite viver vestida de YSL, acho melhor encontrar os tais braços depressa.

A vírgula

Colaboração da Mimic para o blog. O texto faz parte das comemorações pelos 100 anos da Associação Brasileira de Imprensa.

A vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere.

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode ser autoritária.
Aceito, obrigado.
Aceito obrigado.

Pode criar heróis.
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

E vilões.
Esse, juiz, é corrupto.
Esse juiz é corrupto.

Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

Uma vírgula muda tudo.
ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

A escalada da podridão no Planalto

Nos últimos 34 anos, o Brasil contabilizou um número cada vez maior de escândalos. A cada governo, a lista engorda e a Nação parece não ter nem mais um pingo de vergonha. Dê uma olhada na lista abaixo e me diga: De Gaulle tinha ou não tinha razão?

Governo Ernesto Geisel ( 1974- 1979)

Caso Wladimir Herzog
Caso Manuel File Filho
Caso Lutfala
Caso Atalla
Ângelo Calmon de Sá (ministro acusado de passar um gigantesco cheque Sem fundos)
Lei Falcão (1976)
Pacote de Abril (1977)
Grandes Mordomias dos Ministros


Governo João Figueiredo (1979- 1985)

Caso Capemi
Caso do Grupo Delfim
Escândalo da Mandioca
Escândalo da Brasilinvest
Escândalo das Polonetas
Escândalo do Instituto Nacional de Assistência Médica do INAMPS
Caso Morel
Crime da Mala
Caso Coroa-Brastel
Escândalo das Jóias


Governo Sarney ( 1985- 1990)

CPI DA Corrupção
Escândalo do Ministério das Comunicações (Grande número de concessões de rádios e TVs para políticos aliados ou não Ao Sarney. A concessão é em troca de cargos, votos ou apoio Ao presidente)
Caso Chiarelli (Dossiê do Antônio Carlos Magalhães contra o senador Carlos Chiarelli ou 'Dossiê Chiarelli')
Caso Imbraim Abi-Ackel
Escândalo da Administração de Orestes Quécia
Escândalo do Contrabando das Pedras Preciosas


Governo Fernando Collor (1990- 1992)

Escândalo da Aprovação da Lei da Privatização das Estatais
Programa Nacional de Desestatização
Escândalo do INSS (ou Escândalo da Previdência Social)
Escândalo do BCCI (ou caso Sérgio Corrêa da Costa)
Escândalo da Ceme (Central de Medicamentos)
Escândalo da LBA
Esquema PP
Esquema PC (Caso Collor)
Escândalo da Eletronorte
Escândalo do FGTS
Escândalo da Ação Social
Escândalo do BC
Escândalo da Merenda
Escândalo das Estatais
Escândalo das Comunicações
Escândalo da Vasp
Escândalo do Fundo de Participação
Escândalo do BB


Governo Itamar Franco ( 1992- 1995)

Centro Federal de Inteligência (Criação da CFI para combater corrupção em todas as esferas do governo)
Caso Edmundo Pinto
Escândalo do DNOCS (Departamento Nacional de Obras contra a Seca) (ou caso Inocêncio Oliveira )
Escândalo da IBF ( Indústria Brasileira de Formulários)
Escândalo do INAMPS ( Instituto Nacional de Assistência Previdência Social)
Irregularidades no Programa Nacional de Desestatização
Caso Nilo Coelho
Caso Eliseu Resende
Caso Queiroz Galvão (em Pernambuco)
Escândalo da Telemig (Minas Gerais)
Jogo do Bicho (ou Caso Castor de Andrade) (no Rio de Janeiro)
Caso Ney Maranhão
Escândalo do Paubrasil (Paubrasil Engenharia e Montagens)
Escândalo da Administração de Roberto Requião
Escândalo da Cruz Vermelha Brasileira
Caso José Carlos da Rocha Lima
Escândalo da Colac (no Rio Grande do Sul)
Escândalo da Fundação Padre Francisco de Assis Castro Monteiro (em Ibicuitinga, Ceará)
Escândalo da Administração de Antônio Carlos Magalhães (Bahia)
Escândalo da Administração de Jaime Campos (Mato Grosso)
Escândalo da Administração de Roberto Requião (Paraná)
Escândalo da Administração de Ottomar Pinto (em Roraima)
Escândalo da Sudene de Pernambuco
Escândalo da Prefeitura de Natal (no Rio Grande do Norte)
CPI do Detran (em Santa Catarina)
Caso Restaurante Gulliver (tentativa do governador Ronaldo Cunha Lima matar o governador antecessor Tarcísio Burity, por causa das denúncias de Irregularidades na Sudene de Paraíba)
CPI do Pó (em Paraíba)
Escândalo da Estacom (em Tocantins)
Escândalo do Orçamento da União (ou Escândalo dos Anões do Orçamento ou CPI do Orçamento)
Compra e Venda dos Mandatos dos Deputados do PSD
Caso Ricupero (também conhecido como 'Escândalo das Parabólicas').


Governo Fernando Henrique (1995- 2003)

Escândalo do Sivam
Escândalo da Pasta Rosa
Escândalo da CONAN
Escândalo da Administração de Paulo Maluf
Escândalo do BNDES (verbas para socorrerem ex-estatais privatizadas)
Escândalo da Telebrás
Caso PC Farias
Escândalo da Compra de Votos Para Emenda DA Reeleição
Escândalo da Venda da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD)
Escândalo da Previdência
Escândalo da Administração do PT (primeira denúncia contra o Partido dos Trabalhadores desde a fundação em 1980, feito pelo militante do partido Paulo de Tarso Venceslau)
Escândalo dos Precatórios
Escândalo do Banestado
Escândalo da Encol
Escândalo da Mesbla
Escândalo do Banespa
Escândalo da Desvalorização do Real
Escândalo dos Fiscais de São Paulo (ou Máfia dos Fiscais)
Escândalo do Mappin
Dossiê Cayman (ou Escândalo do Dossiê Cayman ou Escândalo do Dossiê Caribe)
Escândalo dos Grampos Contra FHC e Aliados
Escândalo do Judiciário
Escândalo dos Bancos
CPI do Narcotráfico
CPI do Crime Organizado
Escândalo de Corrupção dos Ministros no Governo FHC
Escândalo da Banda Podre
Escândalo dos Medicamentos
Quebra do Monopólio do Petróleo (criação DA ANP)
Escândalo da Transbrasil
Escândalo da Pane DDD do Sistema Telefônico Privatizado (o 'Caladão')
Escândalo dos Desvios de Verbas do TRT-SP (Caso Nicolau dos Santos Neto , o 'Lalau')
Escândalo da Administração da Roseana Sarney (Maranhão)
Corrupção na Prefeitura de São Paulo (ou Caso Celso Pitta)
Escândalo da Sudam
Escândalo da Sudene
Escândalo do Banpará
Escândalo da Quebra do Sigilo do Painel do Senado
Escândalos no Senado em 2001
Escândalo da Administração de Mão Santa (Piauí)
Caso Lunus (ou Caso Roseana Sarney)
Acidentes Ambientais da Petrobrás
Abuso de Medidas Provisórias (5.491)
Escândalo do Abafamento das CPIs no Governo do FHC


Governo Lula (2003 - até agora)

Caso Pinheiro Landim
Caso Celso Daniel
Caso Toninho do PT
Escândalo dos Grampos Contra Políticos da Bahia
Escândalo do Proprinoduto (também conhecido como Caso Rodrigo Silveirinha )
CPI do Banestado
Escândalo da Suposta Ligação do PT com o MST
Escândalo da Suposta Ligação do PT com a FARC
Privatização das Estatais no Primeiro Ano do Governo Lula
Escândalo dos Gastos Públicos dos Ministros
Irregularidades do Fome Zero
Escândalo do DNIT (envolvendo os ministros Anderson Adauto e Sérgio Pimentel)
Escândalo do Ministério do Trabalho
Licitação Para a Compra de Gêneros Básicos
Caso Agnelo Queiroz (O ministro recebeu diárias do COB para os Jogos Panamericanos)
Escândalo do Ministério dos Esportes (Uso da estrutura do ministério para organizar a festa de aniversário do ministro Agnelo Queizoz)
Operação Anaconda
Escândalo dos Gafanhotos (ou Máfia dos Gafanhotos)
Caso José Eduardo Dutra
Escândalo dos Frangos (em Roraima)
Várias Aberturas de Licitações da Presidência da República Para a Compra de Artigos de Luxo
Escândalo da Norospar (Associação Beneficente de Saúde do Noroeste do Paraná)
Expulsão dos Políticos do PT
Escândalo dos Bingos (Primeira grave crise política do governo Lula) (ou Caso Waldomiro Diniz)
Lei de Responsabilidade Fiscal (Recuos do governo federal da LRF)
Escândalo da ONG Ágora
Escândalo dos Corpos (Licitação do Governo Federal para a compra de 750 copos de cristal para vinho, champagne, licor e whisky)
Caso Henrique Meirelles
Caso Luiz Augusto Candiota (Diretor de Política Monetária do BC, é acusado de movimentar as contas no exterior e demitido por não explicar a movimentação)
Caso Cássio Caseb
Caso Kroll
Conselho Federal de Jornalismo
Escândalo dos Vampiros
Escândalo das Fotos de Herzog
Uso dos Ministros dos Assessores em Campanha Eleitoral de 2004
Escândalo do PTB (Oferecimento do PT para ter apoio do PTB em troca de cargos, material de campanha e R$ 150 mil reais a cada deputado)
Caso Antônio Celso Cipriani
Irregularidades na Bolsa-Escola
Caso Flamarion Portela
Irregularidades na Bolsa-Família
Escândalo de Cartões de Crédito Corporativos da Presidência
Irregularidades do Programa Restaurante Popular (Projeto de restaurantes populares beneficia prefeituras administradas pelo PT)
Abuso de Medidas Provisórias no Governo Lula entre 2003 e 2004 (mais de 300)
Escândalo dos Correios (Segunda grave crise política do governo Lula. Também conhecido como Caso Maurício Marinho)
Escândalo do IRB
Escândalo da Novadata
Escândalo da Usina de Itaipu
Escândalo das Furnas
Escândalo do Mensalão (Terceira grave crise política do governo. Também conhecido como Mensalão)
Escândalo do Leão & Leão (República de Ribeirão Preto ou Máfia do Lixo ou Caso Leão & Leão)
Escândalo da Secom
Esquema de Corrupção no Diretório Nacional do PT
Escândalo do Brasil Telecom (também conhecido como Escândalo do Portugal Telecom ou Escândalo da Itália Telecom)
Escândalo da CPEM
Escândalo da SEBRAE (ou Caso Paulo Okamotto)
Caso Marka/FonteCindam
Escândalo dos Dólares na Cueca
Escândalo do Banco Santos
Escândalo Daniel Dantas - Grupo Opportunity (ou Caso Daniel Dantas)
Escândalo da Interbrazil
Caso Toninho da Barcelona
Escândalo da Gamecorp-Telemar (ou Caso Lulinha)
Caso dos Dólares de Cuba
Doação de Roupas da Lu Alckmin
Doação de Terninhos de Marísa da Silva
Escândalo da Nossa Caixa
Escândalo da Quebra do Sigilo Bancário do Caseiro Francenildo (Quarta grave crise política do governo Lula. Também conhecido como Caso Francenildo Santos Costa)
Escândalo das Cartilhas do PT
Escândalo do Banco BMG (Empréstimos para aposentados)
Escândalo do Proer
Escândalo dos Fundos de Pensão
Escândalo dos Grampos na Abin
Escândalo do Foro de São Paulo
Esquema do Plano Safra Legal (Máfia dos Cupins)
Escândalo do Mensalinho
Escândalo das Vendas de Madeira da Amazônia (ou Escândalo Ministério do Meio Ambiente).
69 CPIs Abafadas pelo Geraldo Alckmin (em São Paulo)
Escândalo de Corrupção dos Ministros no Governo Lula
Crise da Varig
Escândalo das Sanguessugas (Quinta grave crise política do governo Lula. Inicialmente conhecida como Operação Sanguessuga e Escândalo das Ambulâncias)
Escândalo dos Gastos de Combustíveis dos Deputados
CPI da Imigração Ilegal
CPI do Tráfico de Armas
Escândalo da Suposta Ligação do PT com o PCC
Escândalo da Suposta Ligação do PT com o MLST
Operação Confraria
Operação Dominó
Operação Saúva
Escândalo do Vazamento de Informações da Operação Mão-de-Obra
Escândalo dos Funcionários Federais Empregados que não Trabalhavam
Mensalinho nas Prefeituras do Estado de São Paulo
Escândalo dos Grampos no TSE
Escândalo do Dossiê (Sexta grave crise política do governo Lula)
ONG Unitrabalho
Escândalo da Renascer em Cristo
CPI das ONGs
Operação Testamento
CPI do Apagão Aéreo ( Câmara dos Deputados)
Operação Hurricane (também conhecida Operação Furacão )
Operação Navalha
Operação Xeque-Mate
Escândalo da Venda da Varig

quarta-feira, 18 de junho de 2008

As sem razões do amor


Para o PiR, que implica quando o post é uma poesia (sim, Pierrot, apesar de pit, eu sou mulherzinha), e para o Bruno, que gosta de colaborar quando esse é o tema. Deixando só uma ressalva ao poeta: não é possível haver amor a nada. Assim como defende Flávio Gikovate, no livro "Uma História do Amor com Final Feliz", acredito que o amor, para existir, precisa de uma segunda pessoa, um "objeto de desejo".

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga, nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 17 de junho de 2008

Tatuagem 2


A Francine Esqueda, do blog Francine versus Francine, deixou um comentário no post Tatuagem pedindo para eu falar mais sobre o assunto. Como não sei se ela estava se referindo aos adesivos que decoram a minha casa ou aos desenhos que tatuei no meu corpo, vou falar, aos poucos, dos dois.
Os adesivos de parede já viraram moda há pelo menos uns três anos. Quando me mudei, descobri neles uma maneira barata, fácil e, principalmente, limpa de decorar a casa. Comprei o primeiro, o do gatinho, há um ano.
Nessa época, a Teca ainda não morava comigo, mas, uma semana depois que o apliquei na parede, hospedei o gato da minha ex-cunhada aqui, que acabou ficando uma temporada de três meses comigo. Uma amiga disse que foi o adesivo que atraiu o meu hóspede peludo. Um mês depois que o meu hóspede foi embora, ganhei a Teca. Coincidência ou não, um gato chamou o outro, que chamou o outro.
O adesivo do passarinho, que veio junto com o do gato, ficou um tempo guardado até eu, finalmente, decidir onde ele "moraria": no muro do jardim, entre as plantas (que ainda não existiam quando ele foi comprado). Os círculos, que hoje enfeitam o corredor entre os quartos, também demoraram a ter a sua localização definida. Eles foram comprados por impulso, sem eu ter muita certeza de onde iriam parar.
Foi por causa dos círculos e dos meus vários testes pela casa até decidir o lugar onde eles seriam aplicados que percebi que estava "tatuando" a minha casa como faço comigo. Assim como os adesivos, as tatuagens foram surgindo aos poucos, cada uma com uma motivação diferente. Umas já com a localização e os desenhos definidos; outra só com a certeza do local que seria tatuado, sem a idéia durante algum tempo de o quê exatamente; e a última com a certeza absoluta do que tatuar, mas sem saber onde. Mas disso eu falo depois.
Voltando aos adesivos, que várias pessoas me perguntam onde comprar, eles podem ser encontrados, dentre outros lugares, na Imaginarium, na Tok & Stok, na Orlean, na Século 21 (em Ipanema, no Rio de Janeiro), na Daqui do Brasil (no Leblon, também no Rio) e, pela internet (os meus preferidos), no blog Mukifuchic e nos sites Urban Summer (clique em !Bem Legais) e I.Stick (de onde é o da foto, o último a ser "tatuado", ontem, aqui em casa).

Observadora


Enquanto eu escrevo, ela observa.

Maravilhosa, mas caaara

Não é de hoje que eu sei que morar no Rio de Janeiro é muito caro, só que a valorização do real colocou a cidade no topo da lista das mais caras do continente americano. Ou seja, atualmente é mais barato morar em Manhatan ou em Montreal do aqui.
No segundo lugar do ranking, elaborado pela Organização Eca Internacional, aparece outra cidade brasileira, Brasília, com o segundo maior custo de vida das Américas. Já São Paulo está em quinto lugar, após Caracas, na Venezuela, e Toronto, no Canadá.
No ranking mundial, que é liderado por Luanda, em Angola, o Rio de Janeiro ficou em 66º, Brasília em 74º e São Paulo em 78º. Entre as cidades das Américas, La Paz, na Bolívia, é a mais barata, ocupando a 234ª posição.
No estudo, a ECA considerou 128 itens de consumo e serviços, em mais de 370 cidades. Além de Luanda, as cidades de Oslo e Stavanger, ambas na Noruega; Copenhague, na Dinamarca; e Moscou, na Rússia, ficaram entre as cinco mais caras do mundo.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Ser feliz


"Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…"

Fernando Pessoa

Onde mora a paz

Vi no Favoritos, num post sobre os instrumentos musicais mais estranhos do mundo, uma foto do "Órgão do Mar", na Croácia, e corri no Google para saber mais. O tal órgão fica na cidade de Zadar e é constituído de degraus cravados nas rochas. No interior de cada degrau há um interessante sistema de tubulações que, quando accionado pelos movimentos do mar, força a entrada de ar. Dependendo do tamanho e velocidade das ondas, são criadas belas notas musicais, de sons aleatórios.
Construído em 2005, o Órgão do Mar ganhou o prêmio europeu para espaços públicos (European Prize for Urban Public Space) e, anualmente, recebe visitantes de várias partes do mundo.

Diga-me como é o seu quarto e lhe direi quem és


Atire a primeira pedra quem nunca perdeu alguns minutos lendo aqueles praticamente irresistíveis testes de revista. Mesmo que seja por pura diversão, a gente acaba dando uma espiadinha naquelas perguntas cretinas e em suas respostas ralas, ainda que não cheguemos ao ponto de contabilizar o resultado.
Pois bem, o psicólogo americano Samuel Gosling inventou um teste, publicado pela revista IstoÉ, que avalia a personalidade através de uma avaliação de seu quarto. Se quiser testar, clique aqui (comece clicando no quadro acima da cama).
O meu resultado foi o seguinte: "Consciente - Organização parece ser seu lema de vida. Segundo o psicólogo americano Samuel Gosling, este costuma ser o perfil de quem é muito racional e vive em constante duelo entre suas emoções e sua razão. O importante é saber dosar as duas coisas para que essa 'assepsia' não signifique um problema em sua vida". Organização realmente é uma de minhas neuroses, mas racional, eu?!? Será??

domingo, 15 de junho de 2008

Operação tapa-buraco


Comentário do hilário José Simão na Band News FM, reproduzido na Veja:

"A Marta (Suplicy) vai tapar os buracos de São Paulo com botox."

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Enfim, a guarda compartilhada

Foi sancionado hoje o projeto de lei que institui a guarda compartilhada dos filhos de pais separados. Pelo texto, esse tipo de tutela pode ser concedida quando não há acordo ou de forma negociada entre os pais, fazendo com que os dois assumam direitos e deveres em relação aos filhos com responsabilização conjunta.
A sanção é uma conquista para os homens, que saem da condição principal de provedores e ganham seu lugar de direito e fundamental importância na criação dos filhos. Ao contrário do que muitas mulheres pensam, homem não é um mero doador de esperma e pagador de contas. Se a figura masculina não fosse importante para o desenvolvimento da personalidade de um indivíduo, a reprodução humana não precisaria dos dois sexos para acontecer.
Parabéns aos juristas que lutaram por essa mudança, aos parlamentares que a aprovaram e, principalmente, aos pais que amam seus filhos como se eles tivessem saído de sua própria barriga.

Frase do dia


Gracinha do dia enviada pela Lia, com todo o respeito aos homens, é claro:
"Sozinho, um homem não é nada... Nem corno!"
Ooops, desculpem meninos.

Tatuagem


Assim como eu, a minha casa é tatuada para ficar mais alegre.

Para arrumar marido


"Ai, meu Santu Antôim quirido,
Qué qui ocê andô fazendu
Qui isqueceu du meu pididu?
Vá logo mi socorrendu.

Abra bem us seus uvidu,
Tô vexada, ocê tá vendu.
Tanta vela qui acendi,
Tantu têiçu qui rezei,
As preméssa qui cumpri,
As vêiz qui mi ajueei.
Inté as conta perdi,
Dus pecadu qui paguei.

Num tenhu máis paciença
Pra pidí neim pra rezá.
Ocê vai mi dá licença,
Sêji pur beim ou pur má.
Pois mi bateu a discrença
Qui ocê qué mi ajudá.

Pódi num sê boa fé,
Máis u jeitu é eu fazê:
Li pindúru pelus pé
Inté ocê mi atendê.
Dispois num fáli qui é
Covardia cum ocê.

Quéru vê si dessa vêiz
Ocê num vai mi atendê!
Dou inté o fim du mêis
Pra módi arrecebê.
Si arresôrva di uma vêiz
I mi dê meu bem-querê."*

Hoje é dia de Santo Antônio. As mocinhas desesperadas devem aproveitar a data (que esse ano é numa sexta-feira 13) para fazer seus pedidos e suas simpatias. Mas peçam direito! Não venham depois colocar a culpa no pobre santo.

*O versinho é de autoria de Lêda Mello

Posição - qual é a sua?

Assisti hoje a um comercial do PSDB que defende a idéia de que é mais importante ter posição do que fazer oposição pura e simplesmente. Até concordo com essa tese, já que uma oposição burra não leva a lugar nenhum, mas não entendi afinal qual é a tal posição do PSDB. Insistir na idéia mirabolante de Aecinho de fechar aliança com o PT? Permanecer em cima do muro?

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Feliz dia


"Eu te amo ontem porque sempre te amei
Eu te amo hoje porque sempre te amo
Eu te amo amanhã porque sempre te amarei."*

* Retirado do poema Sempre, do livro Poemas Simples, de Jacinto Corrêa.

Para quem tem coragem

Acho que amar é acima de tudo um ato de coragem. Coragem de se expor. Coragem de se entregar a um sentimento que não oferece nenhuma garantia. Coragem de dar sem saber se vai receber alguma coisa em troca. Coragem de amparar, sem, em muitas vezes, ser amparado também. Coragem para se permitir ser amado. Coragem para se desnudar de corpo e alma, se mostrar sem máscaras ou pudores. Coragem para somar, diminuir, dividir e multiplicar. Coragem para deixar o ser amado livre para seguir rumos alheios à nossa vontade. Coragem para amar de longe quando não se é capaz de trazer felicidade plena. Coragem para amar simplesmente porque se ama.